quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Poema para o Theo




Imaginei-te,
envolto na luz clara das manhãs...
e pensei-te livre, como aquele
cuja sabedoria lhe permite caminhar
ao encontro de todas as possibilidades.

Sonhei-te tanto meu menino!
numa avidez de quem sonha o amor
só para amar.

Devagarinho pousava os lábios
no ventre de tua mãe
e em encantamento de alma permanecia
na doçura dos meses breves
que te trariam a mim.

Anunciação de vida...
num tempo em que o silêncio
deu lugar à mais bela melodia de amor.

Bem-vindo Theo!


1 comentário:

  1. Que poema tão cheio de ternura. Vem-vindo Theo!, digo também.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar